31ª Mostra Internacional de Cinema (2007)

31

Em sua 31ª edição, a Mostra Internacional de Cinema foi muito além da exibição das mais importantes produções de diversos países e das retrospectivas em homenagem aos grandes nomes do cinema ao discutir a crise na cinefilia. Como parte da abordagem do tema realizou o lançamento da edição brasileira do livro A Rampa, do crítico francês Serge Daney, co-editado com a editora Cosac Naify. Os grandes vencedores da 31ª Mostra foram o longa francês A Questão Humana, de Nicolas Klotz, que ganhou o Prêmio da Crítica, e O Banheiro do Papa, de Enrique Fernández e César Charlone, que ganhou o Prêmio do Júri de Melhor Filme. O Prêmio do Público de Melhor Filme Estrangeiro de ficção foi dividido entre o norte-americano Natureza Selvagem, de Sean Penn, e o francês Persépolis, de Marjane Satrapi e Vincent Parannaud. Dois importantes nomes do cinema receberam prêmios de reconhecimento pelos trabalhos realizados. O chinês Jia Zhang-ke, que teve uma retrospectiva na 31ª Mostra, veio ao País para também receber o prêmio de melhor filme da 29ª Mostra, com O Mundo. E o cineasta israelense Amos Gitaï, que recebeu o Prêmio Humanidade pelo conjunto de sua obra, que inclui Kippur – O Dia do Perdão (2000) e A Retirada (2007), este exibido nesta edição da mostra. Leia a lista de todos os premiados aqui. O grande cineasta Claude Lelouch, também homenageado com uma retrospectiva, veio a São Paulo para apresentar seu mais recente filme, Crimes de Autor. Outro destaque desta edição da Mostra foi a Retrospectiva Fespaco – Os Sementais de Yennenga: Grandes Prêmios da Fespaco 1972-2005, na qual foram exibidos 16 longas e um média vencedores do Festival Pan-Africano de Cinema e Televisão de Uagadugu. O audacioso projeto do cineasta canadense Guy Maddin, o filme espetáculo Brand Upon The Brain, foi alvo de uma apresentação especial, tendo a jornalista, apresentadora, atriz e cantora Marília Gabriela como narradora.